Festival de Gastronomia Tiradentes, MG

Com festival cultural e gastronômico, cidade é referência do bem comer em Minas Gerais

Fechar

Benefícios Exclusivos UNQUIET: Minas Gerais

Fasano Belo Horizonte

Saiba mais

Consulte seu agente de viagens.

Fasano BH

Café da manhã e uma surpresa mineira de boas-vindas em nome da UNQUIET.

Código de reserva: UNQUIET SPECIAL OFFER

Validade: para viagens realizadas até 31 de junho de 2022.

Tiradentes, na região do Campos das Vertentes, a 190 quilômetros de Belo Horizonte e fazendo parte do circuito turístico Trilha dos Inconfidentes, foi uma das cidades que entrou em declínio com o fim do Ciclo da Mineração. Menor que outras como a vizinha São João del Rey, Ouro Preto ou Diamantina, mergulhou em dias sonolentos quase só restritos aos poucos habitantes, cerca de 2.300 na década de 1980, segundo o IBGE.
É consenso que isso ajudou a preservar as construções de seu centro histórico.

Aos poucos, alguns descobriram a joia esquecida, como o inglês John Parsons e sua mulher, a mineira Ana Maria, que transformaram um casarão inacabado na primeira pousada da cidade em 1972, o Solar da Ponte. Tiradentes começou lentamente a atrair a atenção de mineiros e gente de fora, ganhou novas pousadas e alguns restaurantes de comida caseira. E aí, em 1997, um evento sacudiu totalmente a quietude: o Festival de Gastronomia Tiradentes. Bem, quem organizou a primeira edição fui eu; na época, estava construindo uma casa na cidade e um amigo paulista que morava lá, o produtor cultural Antônio Maschio, deu a ideia. Convidei chefs de cozinha conhecidos e celebridades para cozinhar ou conduzir workshops e o sucesso foi e tem sido enorme – em 2020 a cidade realizou sua 23ª edição (esta, virtual).

Tiradentes | Foto:
Tiradentes | Foto:

Matriz de Santo Antônio, de Tiradentes, é um dos mais ricos acervos do barroco mineiro

Na esteira, outros festivais vieram, como os de cinema, fotografia, teatro, vinho etc., mas o de gastronomia firmou Tiradentes como a mais atraente cidade histórica mineira para o bom comer. Restaurantes como o Virada’s do Largo, de Beth Beltrão, elevaram o padrão da cozinha mineira, com mais atenção à finalização dos pratos e ao serviço. Outros foram surgindo, com propostas semelhantes ou buscando inovar a cozinha típica, como o Tragaluz, Pacco e Bacco e Angatu. E há também o apreciado leitão à pururuca do Luiz Ney, servido em sua pousada Villa Paolucci. A cidade se destaca ainda pela produção de um queijo Minas artesanal de bela qualidade, o Sabores do Sítio (ou Queijo da Lúcia).

Villa Paolucci | Foto: Reprodução
Coronel Xavier Chaves | Foto: Wikimedia Commons

Tiradentes também influi no turismo de cidades próximas, com o pessoal visitando o alambique de cachaça do engenho Boa Vista, que a história diz ter pertencido ao irmão mais velho de Tiradentes, o padre Domingos da Silva Xavier, em Coronel Xavier Chaves. E fazendas desta cidade elaboram os bons queijos Catauá e Jacuba.

Visita quase obrigatória para quem vai a Tiradentes, o distrito de Bichinho é um bucólico povoado formado nos princípios do século 18 que hoje é conhecido pelas várias oficinas de artesanato e algumas casas simples e boas para comer.

Foto: iStock
Bichinho | Foto: Reprodução
Tiradentes | Foto:

É essa a rápida história de sucesso de uma pequena cidade que ressurgiu ao descobrir na gastronomia uma nova identidade. Dos 2.300 moradores originais da década de 1980, a cidade tem hoje estimados 8.000 habitantes. Houve forte crescimento em volta do núcleo central, que felizmente ainda preserva suas casas e casarões, museus e chafarizes.

Festival Gastronomia Tiradentes | Foto: Creative Commons

Clique aqui e leia mais sobre a gastronomia de Minas Gerais

    UNQUIET Newsletter

    Voltar ao topo